CUIDADO COM EXCESSOS

MARQUE UMA CONSULTA

Quando o “muito” se transforma em “demais”! Cuidado com os excessos!


As crianças de hoje estão expostas a um fluxo constante de informações que não são capazes de processar. Elas são forçadas ao crescimento rápido, já que os adultos depositam muitas expectativas sobre elas, forçando-as a assumir papéis que realmente não condizem com a realidade infantil. Assim, o cérebro imaturo das crianças é incapaz de acompanhar o ritmo imposto pela nova educação, por conseguinte, um grande estresse pode ocorrer.

Pais normalmente querem dar o melhor para os filhos e assim enchem seus quartos com livros, dispositivos, brinquedos e mais brinquedos. É demais, e quando é excessivo, as crianças ficam sobrecarregadas. Como resultado, elas brincam superficialmente, facilmente perdendo o interesse imediatista nos brinquedos e no ambiente, elas não são estimuladas a desenvolver a imaginação. Observa-se abaixo os excessos de hoje:
1 – Excesso de coisas.
2 – Excesso de opções.
3 – Excesso de informações.
4 – Excesso de rapidez.

Quando as crianças estão sobrecarregadas, elas não tem tempo para explorar, refletir e liberar tensões diárias. Muitas opções acabam corroendo sua liberdade e roubam a chance de se cansar, o que é elemento essencial no estímulo à criatividade e ao aprendizado pela descoberta. A Dica é Simplificar a infância. É preciso deixar que as crianças sejam crianças, apenas isso. A melhor maneira de proteger o equilíbrio mental e emocional é educar as crianças na simplicidade. Para isso, é necessário:

– Não encher elas de atividades extracurriculares, que, em longo prazo, não vão ajudá-las em nada. Deixe-lhes tempo livre para brincar, de preferência com outras crianças, ou com jogos que estimulem a criatividade;
– Passar um tempo de qualidade com eles é o melhor presente que os pais podem dar. Em consultório solicito aos pais muito atarefados 10 minutos diários. Afinal de contas 10 minutos passam voando, não é mesmo?
– Criar um espaço tranquilo onde eles podem se refugiar do caos e aliviar o estresse diário;
– Garantir tempo suficiente de sono e descanso;
– Reduzir a quantidade de informações, certificando-se de que esta seja sempre compreensível e adequada à sua idade. Lembre-se informação demais não faz bem e prejudica a concentração;
– Simplifique o ambiente, apostando em menos brinquedos e certificando-se de que estes realmente estimulem a fantasia da criança. Incentive as brincadeiras ao ar livre como correr, pular e jogar bola;
– Reduzir as expectativas sobre o desempenho, deixe que elas sejam simplesmente crianças. Lembre-se que as crianças têm uma vida inteira pela frente até se tornarem adultos, então, permita que elas vivam plenamente a infância.
Reflita!

Priscila Dias Pereira
Priscila Dias Pereira

Psicóloga Clínica Infantil e Especialista em Psicologia da Saúde

CRP DF 01/16457